LIFE13 NAT / ES / 000772

ACTUACIONES PARA

LA PROTECCIÓN

Y CONSERVACIÓN DE

CIPRÍNIDOS

IBÉRICOS DE INTERÉS

COMUNITARIO.”

O PROJETO

NOS ÚLTIMOS ANOS VIERAM-SE REALIZANDO DIFERENTES ESTUDOS QUE EVIDENCIARAM, UM RETROCESSO DAS POPULAÇÕES DE ALGUMAS DAS ESPÉCIES PISCÍCOLAS CIPRINÍCOLAS DA CUENCA DO DOURO E TAJO, BEM COMO O INCREMENTO DA DISTRIBUIÇÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS.

ESPÉCIES

FICHAS ESPECIES

ÁREA DE ATUAÇÃO

OBJETIVOS

AÇÕES

Como consequência destes estudos se aprecia a necessidade urgente de tomar medidas em frente à regressão destas populações, considerando a zona de Salamanca uma das principais áreas de interesse, pelo número de LICs sócios ao médio hídrico, e a composição e grau de proteção das comunidades piscícolas autóctonas e endémicas que se podem encontrar nela, algumas em concreto só nesta zona territorial e consideradas em perigo ou ameaçadas.

 

 

Com este objetivo, a Confederação Hidrográfica do Douro como beneficiário coordenador, e a Junta de Castilla e León, A Fundação Património Natural e a Confederação Hidrográfica do Tejo/Tejo, todos eles como beneficiários sócios, apresentaram um projeto LIFE+ com objeto de proteger e estabelecer um protocolo para a recuperação das populações de ciprínidos autóctonos endémicos da zona sudoeste da província de Salamanca, bem como conservar e restaurar os habitats naturais nos que se encontram.

 

 

O 30/04/14 a Comissão Europa fez pública a lista de adjudicatarios da convocação LIFE+ do ano 2013, sendo o projeto de referência LIFE13 NAT/É/000772  “ACTUACIONES PARA LA PROTECCIÓN Y CONSERVACIÓN DE CIPRINÍDOS IBÉRICOS DE INTERÉS COMUNITARIO -CIPRÍBER-“ um dos selecionados.

A zona de atuação localiza-se no sudoeste da província de Salamanca devido à composição e grau de proteção das comunidades piscícolas autóctonas e endémicas que se podem encontrar nela (algumas das quais, só estão presentes nesta zona territorial e se encontram consideradas em Perigo), bem como pelo número de LICs presentes, sócios ao médio hídrico.

 

Para más información puede descargar de manera gratuita  la publicación “Atlas y Libro Rojo de los peces continentales de España”, editado por Ignacio Doadrio, desde la web del Ministerio de Agricultura, Alimentación y Medio Ambiente.

· Conseguir melhorar as populações destes ciprínidos endémicos em zona de alto valor, na que existem LICs com espécies incluídas em Anexo II dos Diretiva Habitats

· Desenvolver um protocolo de criança em cautividad para compensar o estado de regressão atual das suas populações, e servir de experiência para que as suas técnicas possam ser extrapoladas a outros âmbitos territoriais, inclusive transfronteiriços

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

· Aumentar o conhecimento técnico e cientista sobre as espécies para determinar a afeção pelas pressões ambientais e a eliminação das mesmas

· Conseguir condições de habitat fluvial que possibilitem a melhor distribuição e situação as populações mediante a eliminação de pressões existentes nos cauces e restauração de habitats, avançando para o bom estado ecológico

· Avaliar os resultados obtidos e determinar a viabilidade e eficácia da criança em cautividad, comprovando se a metodologia aplicada é eficiente como estratégia generalizable de conservação

· Definir um programa de gestão piscícola e hídrica, que evidenciem as repercussões que derivar-se-ão do projeto (zonas a proteger, procedimentos de atuação, ferramentas necessárias, etc), para a sua posterior implementação pós-LIFE

· Compartilhar o conhecimento obtido com grupos científicos e autoridades para a conservação da biodiversidade

· Divulgar problemática e soluções ao público de modo geral

Presupuesto: 2.429.049,00 euros

% Contribución Unión Europea: 50

Duración: del 02/06/2014 al 31/08/2018

 

Beneficiario coordinador

CONFEDERACIÓN HIDROGRÁFICA DEL DUERO

C/ Muro, 5 47071 Valladolid

 

 

 

Beneficiarios asociados

JUNTA DE CASTILLA Y LEÓN. CONSEJERÍA DE FOMENTO

Y MEDIO AMBIENTE.

C/ Rigoberto Cortejoso, 14

47014 Valladolid

 

 

FUNDACIÓN PATRIMONIO

NATURAL DE CASTILLA Y LEÓN

Cañada Real, 306 47008 Valladolid

 

 

CONFEDERACIÓN HIDROGRÁFICA DEL TAJO

Avenida de Portugal, 81.- 28071 Madrid

O OBJETIVO DO PROJETO É PROTEGER E SENTAR As BASES PARA A RECUPERAÇÃO DAS POPULAÇÕES DE CIPRÍNIDOS AUTÓCTONOS ENDÉMICOS DE INTERESSE A EFEITOS DO ANEXO II DOS DIRETIVA HABITATS, QUE SE LOCALIZAM NOS LICS DO SUDOESTE DE SALAMANCA, PELAS suas ESPECIAIS CARACTERÍSTICAS DE DISTRIBUIÇÃO E DE AMEAÇA, MEDIANTE A EXECUÇÃO DE ATUAÇÕES CONCRETAS NESTES LICS, E EM CONCRETO:

Ações Preparatórias

Ações de Conservação

Ações de Seguimento e Monitorização

Ações de Divulgação e Participação Pública

Ações de Gestão

No conjunto dos LICs do projeto apresentam-se as seguintes cinco espécies incluídas no Anexo II dos Diretiva Habitats:

 

• Chondrostoma polylepis

• Rutilus lemmingii

• Rutilus arcasii

• Rutilus alburnoides

• Cobitis taenia

A este respeito cabe assinalar que se produziu uma variação da classificação taxonómica destas espécies. As mudanças taxonómicos mais importantes são:

 

• Na atualidade, Chondrostoma polylepis dividiu-se também em duas espécies, ambas na zona de projeto: a propriamente dita Chondrostoma polylepis (boga de rio), que na atualidade se denomina Pseudochondrostoma polylepis; e outra espécie que é própria da cuenca do Douro, denominada Pseudochondrostoma duriense (boga do Douro).

 

• A espécie Rutilus lemmingii dividiu-se em duas espécies diferentes: Iberochondrostoma lemmingii (pardilla) e uma espécie nova que se denomina Achondrostoma salmantinum (sarda) que se localiza no âmbito do projeto. Esta nova espécie está catalogada pela UICN como Em Perigo, e é endémica unicamente da zona de atuação que se corresponde com a cuenca do Douro.

 

 • Na atualidade Rutilus arcasii denomina-se Achondrostoma arcasii.

 

• Na atualidade Rutilus alburnoides denomina-se Squalius alburnoides.

 

• Situação similar ocorre-lhe à Cobitis taenia, que na atualidade se corresponde, na zona de atuação, com outras duas espécies diferentes, Cobitis paludica (colmilleja) e Cobitis vettonica (colmilleja do Alagón). Esta última espécie está catalogada pela UICN como Em Perigo, e é endémica unicamente de uma zona concreta das Cuencas do Douro e Tejo/Tejo, fundamentalmente no âmbito deste projeto.

 

 Outras espécies de ciprínidos autóctonos de interesse no âmbito do projeto são:

 

 • Squalius carolitertii

 

• Squalius pyrenaicus

 

REPRODUÇÃO

DE CIPRÍNIDOS

EM CAUTIVIDAD

 

COMUNICAÇÃO

E INTERPRETAÇÃO

AMBIENTAL

OBRAS DE

MELHORIA

AMBIENTAL

 

ESTADO DE AVANCE DE LAS ACCIONES DEL PROYECTO

NOTÍCIAS

ACTUACIONES PARA LA PROTECCIÓN Y CONSERVACIÓN DE CIPRÍNIDOS IBÉRICOS DE INTERÉS COMUNITARIO LIFE13 NAT / ES / 000772